Juventude rural, empreendedorismo e persicultura em Pelotas

 Juventude rural, empreendedorismo e persicultura em Pelotas

Robson Becker Loeck, Rodrigo Bubolz Prestes e Joana Souza Caetano da Silva (*)

Em Pelotas a produção de pêssego envolve 605 famílias de agricultores familiares, sendo uma das principais culturas agrícolas do município. Para se ter uma ideia, são 3.000 ha com pessegueiros, sendo que 150 são de pomares irrigados. A produção em 2021 foi de 27 mil toneladas, o que representa em valores R$ 32,4 milhões. Já a produção industrial e a venda do famoso pêssego em lata chegam a R$ 200 milhões.

Desde o ano de 2014 é realizada a Quinzena do Pêssego, sempre lançada no Mercado Público de Pelotas, seguida da uma grande festa no interior do município, qual seja, a Festa Municipal do Pêssego. Ambos os eventos proporcionam a divulgação da fruta, a diversidade gastronômica, a comercialização direta e a valorização das famílias produtoras.

Sempre pensando na qualificação produtiva e na sucessão rural das famílias rurais, desde 2018, o Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Pelotas vem selecionando jovens rurais para participar do Curso de Empreendedorismo e Desenvolvimento para a Juventude Rural, realizado no Centro de Treinamento da Emater/RS-Ascar de Canguçu, que em 2022 chegou a sua 4ª edição. Com tempo de duração de aproximadamente um ano e com encontros mensais, o Curso já recebeu jovens pelotenses de 13 famílias, sendo que dessas, 7 são persicultoras e envolvidas diretamente com os eventos citados acima.

E aí, cabe destacar o envolvimento nessas famílias dos jovens egressos do curso de empreendedorismo: Amanda Hermann, Andreo Raffi, Carolina Bender, Jennifer Silva, Karolain Schiller, Tamires Mattozo, Thainá Muller. Todos eles acompanham, juntamente com os pais, as atividades agrícolas nas suas propriedades, participam da Quinzena e da Festa do Pêssego, tendo, inclusive, a Karolain sido escolhida Princesa em edição passada da Festa e, agora em 2022, em Concurso promovido pela Emater/RS-Ascar, Embrapa e Prefeitura Municipal, recebido em nome da família o Troféu Aílton Raseira de Melhor Pêssego da Colheita 2022.

Importante destacar, além do interesse nas atividades rurais, o envolvimento desses jovens com os estudos. A Jennifer e a Karolain, por exemplo, estão cursando Agronomia na Universidade Federal de Pelotas, e a Carolina e a Tamires tornaram-se recentemente Técnicas Agrícolas, respectivamente, no IFSul / Câmpus Pelotas – Visconde da Graça e na Escola Técnica Estadual Canguçu.

Todo esse interesse dos jovens na busca de qualificação, o seu envolvimento com a produção agrícola familiar e a interação com os técnicos da Emater/RS-Ascar na realização da extensão rural, são bons indicativos de que a sucessão rural ocorrerá nessas propriedades e a cadeia do pêssego em Pelotas seguirá por bons caminhos.

(*) Robson Becker Loeck, Rodrigo Bubolz Prestes e Joana Souza Caetano da Silva são extensionistas rurais no Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Pelotas.