Comissão Técnico-Científica estabelece normas para submissão de trabalhos ao XIV Confaser

 Comissão Técnico-Científica estabelece normas para submissão de trabalhos ao XIV Confaser

Fonte: Faser

O XIV CONFASER acontece de 12 a 15 de junho, em Brasília, e já foram estabelecidas as normas para a submissão de trabalhos pela Comissão Técnico-Científica. Trabalhadoras e trabalhadores de todo Brasil podem participar e a data para submissão é de 11 abril a 13 de maio. Os trabalhos a serem apresentados devem ser com base no tema central “Sustentabilidade e Fortalecimento da ATER Pública na Era Digital”. ou em um dos três subtemas: “Financiamento e Sustentabilidade da Ater Pública”, “Ater Pública e o Desenvolvimento Rural Sustentável” e “Caminhos do Movimento Sindical”.

O objetivo do CONFASER, que acontece a cada três anos, é discutir teses de promoção social, sindical e política. As teses vão orientar as ações das entidades que representam os trabalhadores e trabalhadoras da Extensão Rural e Pesquisa do setor público agrícola do Brasil, para a sustentabilidade e fortalecimento da ATER pública. Além de propor políticas públicas para a agricultura familiar para os próximos três anos.

De acordo com a coordenadora geral da FASER, Lúcia Kinceler, o Congresso é um marco histórico dos trabalhadores. O evento tem se consolidado como um momento importante politicamente para a categoria, pois trata de pautas que ampliam a discussão sobre a realidade do meio rural e a qualidade de vida dos extensionistas e técnicos. Atualmente a base tem cerca de 22 mil trabalhadores da extensão e pesquisa.

1. COMISSÃO ORGANIZADORA

1.1 Coordenação Colegiada Nacional
Lucia Kinceler – Coordenadora Geral da Faser – Faper/SC
Pedro Carlotto – Coordenador de ATER da Faser – Sinterp/MT

1.2 Coordenação local – Membros da ASSER/DF
Cleison Medas Durval – também coordenador executivo da Faser – ASSER/DF
Bruno Aquino
Bruno Araújo
Fernando Frazão

2. COMISSÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA

Gustavo Scholz – AFA/PR
Luciene Tavares – SINTAPE/PE
Marinês Bock – ASAE/RS – Coordenação Adjunta
Raimundo Nonato da S. Ribeiro – ASSEMPA/PA – Coordenação
Robson Becker Loeck – ASAE/RS

3. Assessoria de Imprensa

Cristina Nicolazzi Gallo

4. Apoio Administrativo / Logístico

Ildeanne dos Santos Costa

Veja abaixo as diretrizes e formas de apresentação para submissão de trabalhos:

COMISSÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA O XIV CONFASER

A submissão de trabalhos para o XIV CONFASER – SUSTENTABILIDADE E FORTALECIMENTO DA ATER PÚBLICA NA ERA DIGITAL a se realizar em Brasília-DF no período de 12 a 15 de junho de 2022, seguirão as diretrizes, os prazos e as formas de apresentação, sob o Tema Central “Sustentabilidade e Fortalecimento da ATER Pública na Era Digital” ou em um dos três subtemas propostos (Financiamento e Sustentabilidade da Ater Pública, Ater Pública e o Desenvolvimento Rural Sustentável, Caminhos do Movimento Sindical), conforme estabelecidos a seguir:

1. DIRETRIZES PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Os trabalhos a serem submetidos ao XIV CONFASER serão no formato de “Resumos Expandidos” com o entendimento de que melhor atende aos objetivos do congresso quanto à divulgação de saberes, compartilhamento de informações e comparações com trabalhos relacionados. Os Resumos Expandidos permitem uma compreensão pelos participantes, em um menor tempo possível, sobre uma ideia, uma pesquisa, uma experiência vivida, concluída ou em andamento. Eles são bastante usados em eventos organizados por comunidades profissionais, acadêmicas e de trabalhadores(as), com finalidades de debater temas, compartilhar informações e construção do futuro. Os trabalhos a serem submetidos deverão abordar assuntos em um dos três subtemas em uma das duas modalidades propostas: 1.1 – Trabalhos Técnico-Científicos ou 1.2 – Relatos de Experiências Técnico-Profissionais.

1.1 – TRABALHOS TÉCNICO-CIENTÍFICOS

O Trabalho Técnico-Científico está direcionado para retratar iniciativas que envolvam estudos, pesquisas que revelem a relevância do trabalho da pesquisa e da ATER pública para o desenvolvimento rural sustentável, fortalecimento da agricultura familiar e que tenha potencial de replicabilidade no país.

O Trabalho Técnico-Científico deverá conter, no mínimo 3 (três) páginas e máximo, 5 (cinco) páginas, com até 10.500 caracteres, obedecendo à sequência: Título, Autores(as), Informações dos(as) Autores(as), Resumo, palavras-chave, Introdução, Metodologia, Resultados e Discussões, Conclusões, Agradecimentos e Bibliografia Citada. Textos em português, formatado para página A4 (210 x 297mm), margens superior, inferior, esquerda e direita de 25mm. No texto deixe um espaço entre os parágrafos, não use tabulação, não inclua cabeçalho.

O texto deverá ser digitado em fonte Arial, tamanho 12, com espaçamento simples. Recomendamos que as fotos e figuras estejam ajustadas para exibição em tamanho de 300 pixels, ou melhor resolução. Os títulos dos itens deverão ser digitados em negrito, alinhados à esquerda, com os textos justificados e separados por um espaço.

1. Título – o título do Trabalho em português deverá ser digitado capsulada (caixa alta), centralizado, fonte Arial 12 e em negrito.

2. Autor(es) – deixar um espaço abaixo do título e acrescentar, com fonte Arial 12, o(s) nome(s) completo(s) dos(as) componentes da equipe do trabalho. Serão aceitos no máximo 5 (cinco) co-autores, ou seja, o autor e 5 (cinco co-autores). Demais colaboradores devem ser inseridos nos Agradecimentos. A instituição de vinculação, o endereço e correio eletrônico, deverão ser apresentados, imediatamente abaixo dos nomes dos autores, com um (1) espaço entre os autores e as mesmas. Utilizar chamada numérica crescente sobrescrita para indicação das informações dos(as) respectivos(as) autores(as). Outras informações sobre autores, como formação e atividades exercidas, deverão constar no final da 1ª página como notas de rodapé.

3. Resumo – com até 1.000 caracteres (com espaços), em fonte Arial 11, com alinhamento justificado e espaçamento simples entre linhas. O texto deve ser claro, sucinto e explicar de forma breve o(s) objetivo(s) pretendido(s), procurando justificar sua importância (sem incluir referências bibliográficas). Os principais procedimentos metodológicos adotados, os resultados mais expressivos e conclusões.

4. Palavras-Chave – De 3 a 5 palavras-chave, necessárias ao sistema de busca e indexação. Não repetir palavras que estejam no título. Separar as palavras-chave por ponto e vírgula (;).

5. Introdução – informar os aspectos gerais, o(s) motivo(s) da pesquisa/estudo, problema a ser resolvido, potencialidade/oportunidade a ser explorada, e com quais objetivos foi realizada a experiência.

6. Metodologia – dependendo da natureza do trabalho, deve ser caracterizado o local, tornando claras as condições em que a pesquisa foi realizada. Quanto aos métodos é necessário uma descrição dos procedimentos utilizados, adaptações promovidas, etc. Unidades de medidas e símbolos devem seguir o Sistema Internacional.

7. 7. Resultados e Discussões – apresentar os resultados preferencialmente na forma de tabelas, quadros e ilustrações gráficas (se houver), logo após a sua citação no texto, ou na página seguinte com os comentários analíticos e interpretativos pertinentes aos dados apresentados. Não serão permitidas repetições de informações (ex. uma tabela e um gráfico com os mesmos dados).

Figuras (gráficos, mapas, fotos, blocos-diagrama, imagens etc.) devem ser inseridas através da função FIGURA (ferramenta do Windows), com resolução de 300 DPI, em dimensão compatível para uma boa visualização em tamanho A4 (retrato ou paisagem).As legendas das figuras deverão ser digitadas separadamente, abaixo da figura, para facilitar eventual deslocamento na diagramação. Podem ser utilizados mapas, imagens e figuras coloridas.

Tabelas podem ser incluídas no texto sem as bordas laterais. Os títulos das tabelas são posicionados na parte superior e também digitados separadamente.

8. Conclusões – resumir os principais resultados, com objetividade, não sendo permitidas repetições extensivas de resultados e discussões. As conclusões devem ser sumarizadas na forma de texto corrido e não na forma de itens.

9. Agradecimentos – Item opcional destinado a informar agências financiadoras, instituições apoiadoras e colaboradores.

10. Referências bibliográficas – apenas para bibliografia citada. Espaço simples, sem espaço entre as citações e sem recuo.


1.2 – RELATOS DE EXPERIÊNCIAS TÉCNICO-PROFISSIONAIS

O Relato de Experiência Técnico-Profissional está direcionado para retratar experiências exitosas que envolvam o dia a dia do extensionista com a comunidade/família rural assistida, o acesso a pelo menos uma política pública, que revele a relevância do trabalho da ATER pública e que tenha potencial de replicabilidade no país.

O Relato de Experiência Técnico-Profissional deverá conter no mínimo 3 páginas e máximo 05 (cinco) páginas, com até 10.500 caracteres, obedecendo à sequência: Título, Autores(as), Informações dos(as) Autores(as), Resumo, palavras-chave, Contexto, Descrição da Experiência, Resultados, Agradecimentos e Bibliografia Citada (se houver). Textos em português, formatado para página A4 (210 x 297mm), margens superior, inferior, esquerda e direita de 25mm. No texto deixe um espaço entre os parágrafos, não use tabulação, não inclua cabeçalho.

O texto deverá ser digitado em fonte Arial, tamanho 12, com espaçamento simples. Recomendamos que as fotos e figuras estejam ajustadas para exibição em tamanho de 300 pixels ou melhor resolução. Os títulos dos itens deverão ser digitados em negrito, alinhados à esquerda, com os textos justificados e separados por um espaço.

1. Título – o título do Relato em português deverá ser digitado capsulada (caixa alta), centralizado, fonte Arial 12 e em negrito.

2. Autor(es) – deixar um espaço abaixo do título e acrescentar, com fonte Arial 12, o(s) nome(s) completo(s) dos(as) componentes da equipe do trabalho. Serão aceitos no máximo 5 (cinco) coautores, ou seja, o autor e 5 (cinco coautores). Demais colaboradores devem ser inseridos nos Agradecimentos. A instituição de vinculação, o endereço e correio eletrônico, deverão ser apresentados, imediatamente abaixo dos nomes dos autores, com um (1) espaço entre os autores e as mesmas. Utilizar chamada numérica crescente sobrescrita para indicação das informações dos(as) respectivos(as) autores(as). Outras informações sobre autores, como formação e atividades exercidas, deverão constar no final da 1ª página como notas de rodapé.

3. Resumo – com até 1.000 caracteres (com espaços), em fonte Arial 11, com alinhamento justificado e espaçamento simples entre linhas. O texto deve ser claro e sucinto. Deverá apresentar de forma breve o contexto, os objetivos, desenvolvimento e principais resultados, apontando especialmente para as lições aprendidas na experiência.

4. Palavras-Chave – De 3 a 5 palavras-chave, necessárias ao sistema de busca e indexação. Não repetir palavras que estejam no título. Separar as Palavras-chave por ponto e vírgula (;).

5. Contexto – informar onde, em qual período e com quais objetivos foi realizada a experiência.

6. Descrição da Experiência – Informar quais as metodologias utilizadas para observação/intervenção e porque estas foram escolhidas. Relatar a experiência (de preferência de modo impessoal) e inserir fotos/figuras (no máximo 06), se necessário. Informar o universo (pessoas, instituições, comunidades) da intervenção/observação e demais dados que venham informar ao leitor a pertinência do relato.

7. Resultados – Analisar, avaliar e discutir os resultados apresentados, lembrando que não se trata do resumo do trabalho. Apresentar, se possível, questionamentos, possíveis soluções, ou futuras observações e/ou intervenções.

8. Agradecimentos – Item opcional destinado a informar agências financiadoras, instituições apoiadoras e colaboradores.

9. Referências Bibliográficas – apenas para bibliografia citada, quando houver. Espaço simples, sem espaço entre as citações e sem recuo.


2. TEMAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Conforme já especificado, os Resumos Expandidos a serem submetidos poderão abordar duas modalidades distintas: Trabalhos Técnico-Científicos e Relatos de Experiências Técnico-Profissionais. Os temas objetos dos Resumos Expandidos deverão estar preferencialmente em consonância com o tema central, ou um dos subtemas do Confaser, quais sejam: Tema Central “Sustentabilidade e Fortalecimento da ATER Pública na Era Digital” e Subtemas “Financiamento e Sustentabilidade da ATER Pública”; “ATER Pública e o Desenvolvimento Rural Sustentável” e “Caminhos do Movimento Sindical”.

Tema Central – SUSTENTABILIDADE E FORTALECIMENTO DA ATER PÚBLICA NA ERA DIGITAL

O momento de crise nos impõe repensar caminhos para lidar com a escassez de recursos, reformular ações e parcerias, concentrar esforços para seguir adiante. As agências estatais estão com o quadro de mão de obra defasada e mal remunerada. O serviço de extensão passa pela redução na injeção de recursos para manutenção dos serviços. Para solucionar, defendemos a reconstrução da rede nacional de Ater pública, financiamento, concurso público para a renovação do quadro de pessoal e recursos para a Anater.

Sustentabilidade e Fortalecimento da Ater Pública na Era Digital é buscar caminhos para o fortalecimento do serviço de extensão rural no Brasil. Durante a pandemia o serviço de ATER teve que se adequar às restrições fazendo um uso mais intensivo das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) se fazendo importante a discussão da ATER na Era digital. É nesse contexto que o serviço de ater é chamado a se posicionar, aprimorando suas práticas e adotando fermentas digitais disponíveis para potencializar, qualificar e atualizar suas ações junto aos agricultores no contexto do desenvolvimento rural sustentável, para cumprir seu papel de comunicação e educação, diante da transformação nestes tempos da era digital. A digitalização não é para substituir o extensionista, mas para apoiar em seu trabalho.

Subtema 01 – FINANCIAMENTO E SUSTENTABILIDADE DA ATER PÚBLICA

Este é um tema de alta relevância por tratar da sobrevivência continuada da ATER e Pesquisas Públicas que passa por uma escassez de recursos humanos, materiais e orçamentários: mão de obra defasada, mal remunerada, deficiente qualificação, estrutura e infraestrutura insuficientes e inadequadas (imóveis, móveis, máquinas, veículos, softwares, etc.) conforme levantamento da FASER realizado com apoio das entidades sindicais e associações de sua base (Situação Atual das Empresas Estatais – dezembro/2021); apesar de uma demanda crescente da sociedade por alimentos saudáveis, por meio ambiente preservado e por diminuição da pobreza extrema.

É preciso aprofundar o debate em questões como: criação de um novo Sistema Nacional de Ater Público; Fontes de financiamentos permanentes; fundo Nacional de ATER; papéis do MAPA, ANATER, FASER e dos Conselhos de Desenvolvimento Rural. O debate deve também permear aspectos legais sobre o dever constitucional da união, estados e municípios pela manutenção dos serviços de ATER e da pesquisa pública conforme estabelecidos nos art. 186 e 187 da Constituição Federal, Lei Agrícola nº 8.171/1991, lei da Agricultura Familiar nº 11326/2006, Lei Geral de ATER nº 12.188/2010 e Lei de criação da ANATER – 12.897/2013.

É fundamental apontar caminhos, estratégias e mecanismos que possibilitem a revitalização do sistema nacional, redefinições de papéis com foco no atendimento das demandas, na operacionalização dos marcos legais que garantam os recursos necessários à ATER e à Pesquisa pública oficial nos três níveis político-administrativos.

Subtema 2 – ATER PÚBLICA E O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL

A importância deste tema está posta pela urgente releitura da PNATER com relação ao objetivo geral de “Estimular, animar e apoiar iniciativas de desenvolvimento rural sustentável, que envolvam atividades agrícolas e não agrícolas, pesqueiras, de extrativismo, e outras, tendo como centro o fortalecimento da agricultura familiar, visando a melhoria da qualidade de vida e adotando os princípios da Agroecologia como eixo orientador das ações”, diante dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável-ODS estabelecidos na Agenda 2030.

A operacionalização do desenvolvimento sustentável tendo como elementos balizadores os fundamentos e as a diretrizes da PNATER e adotando os princípios da agroecologia como eixo orientador das ações de ATER, foi uma propositura inovadora, com ações de ATER desenvolvidas desde 2004. Contudo, qual tem sido a forma de gestão, monitoramento, acompanhamento e avaliação dessas ações? Qual o grau do desenvolvimento sustentável alcançado? Indicadores estabelecidos pelos programas e projetos governamentais em cada unidade federativa (estado) têm sido acompanhados sem um referencial global que permita a aferição de realização do desenvolvimento sustentável.

Somente em 2015 que se torna possível a aferição do Desenvolvimento Sustentável, com a criação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável–ODS, que em 2017 somam 17, desta forma o que foi estabelecido em 2004 pela PNATER e reafirmado em 2010 pela Lei Geral de ATER (lei nº 12.188) passa a ter novas dimensões e atribuições que precisam de um debate mais aprofundado que possibilite mostrar à sociedade a relevância e a essencialidade da ATER e da Pesquisa Agropecuária Pública na promoção do desenvolvimento sustentável.

Subtema 3 – CAMINHOS DO MOVIMENTO SINDICAL

A importância da luta sindical é indubitável, sobretudo no momento em que a conjunção da crise econômica e pandêmica tem ampliado as demissões e destruição de antigas conquistas econômicas e sociais. O CONFASER é um movimento político de união e formação das trabalhadoras e trabalhadores da ATER e da Pesquisa pública oficial e estadual do Brasil que se expressa pela troca de experiências, conhecimento e saber discutindo teses e temas de relevância social, sindical, associativa e política (Anais do XIII CONFASER). O futuro do sindicalismo e de sua capacidade de representação dos trabalhadores depende de como ele será capaz de enfrentar os velhos desafios, mas também os novos processos sociais que vêm produzindo mudanças estruturais na sociedade e no mundo do trabalho, os quais convergem no último período e potencializam-se sinergicamente. A Faser está envolvida na luta pela ampliação da extensão rural em todo o país, participando da formulação de documentos, participação ativa em câmaras técnicas e contribuindo decisivamente para a nova Política Nacional de Assistência Técnica, garantindo a voz das suas filiadas e a participação, através de fóruns internos, e assembleias. A Faser representa uma parcela importante da base de servidores públicos responsáveis pelo cumprimento de diversas determinações da Constituição Federal, pela fiscalização e preservação do meio ambiente, pela assistência ao agricultor e pela elaboração das políticas públicas que estão fazendo do Brasil um país soberano e melhor de se viver. No mundo e no Brasil, o movimento sindical já deu inúmeras provas de imensa capacidade de resiliência e de reinvenção. No contexto atual do país, sobretudo conta com suas próprias forças. É hora de se perguntar: qual é a prioridade de levar adiante uma agenda de inovação, revitalização, reinvenção, que alce a primeiro plano a tarefa de construção de um projeto comum de reestruturação geral do sindicalismo? É urgente que o movimento sindical brasileiro tome iniciativas inovadoras para promover uma reestruturação que correlacione e integre a mudança na estrutura e organização sindical à dinâmica que emerge no novo mundo do trabalho.

3. SOBRE O ENVIO, SELEÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHO

Os interessados em enviar trabalho para o XIV CONFASER, deverão proceder conforme abaixo:

a) Enviar o Resumo Expandido do trabalho de 11 de abril a 13 de maio de 2022 para o e-mail resumoconfaser@gmail.com

b) Os trabalhos poderão ser apresentados oralmente em sessões presenciais no evento ou transmitidos de outra localidade. Para apresentação oral haverá seleção com retorno ao(s) autor(es);

c) A divulgação dos Resumos Expandidos selecionados para apresentação oral, será realizada por e-mail no período de 13 a 20 de maio de 2022;

d) O autor de Resumo Expandido selecionado para apresentação deverá apresentá-lo oralmente, em 10 minutos. Caso ocorram questionamentos do público presente, o apresentador terá até 10 minutos para esclarecimentos;

e) Os trabalhos com apresentação oral dos resumos expandidos ocorrerão no período da manhã e à tarde.

Comissão Técnico-científica XIV CONFASER

Gustavo Scholz -AFA/PR
Luciene Tavares-SINTAPE/PE
Marinês Bock -ASAE/RS – Coordenação Adjunta
Raimundo N. S. Ribeiro -ASSEMPA/PA – Coordenação
Robson Becker Loeck-ASAE/RS