Saiba o que mudou no Fundo de Acidentes de Veículos para Carros da EMATER e Terceiros

 Saiba o que mudou no Fundo de Acidentes de Veículos para Carros da EMATER e Terceiros

Entre as principais definições da reunião do Conselho de Representantes, CR da Asae, ocorrida no dia 15 de julho, foram aquelas que alteraram o Fundo de Acidentes de Veículos para Carros da Emater e Terceiros.

Veja o que mudou quanto à cobertura:

  • O ressarcimento de despesas referentes a danos materiais do veículo da Emater somado a veículo de terceiros fica limitado em R$ 100 mil por ano, por associado.
  • O ressarcimento fica restrito a danos materiais, não se aplicando ao pagamento de danos morais, estéticos, corporais, psicológicos, lucros cessantes, ou qualquer outra espécie de indenização.

Carência

Também houve mudança quanto ao período de carência para acesso ao Fundo. A partir de agora, o associado ou a associada necessita ter pelo menos dois meses de contribuição.

Veja o que mudou quanto ao controle dos recursos do Fundo:

  • O controle de recursos será feito trimestralmente pela Diretoria da ASAE, que informará aos participantes a situação financeira do Fundo de Acidentes de Veículos Emater e Terceiros, ou a qualquer momento, quando solicitado pelo Conselho de Representantes ou Conselho Fiscal da ASAE.

Prêmio

Nos meses em que o saldo do Fundo ultrapassar o valor de R$ 1 milhão, os participantes terão como prêmio a isenção do pagamento da contribuição mensal.

Para ter direito ao beneficio da isenção mensal o participante deverá ter contribuído no mínimo por 12 meses.

Sobre as alterações do Fundo:

  • Ficou definido que este poderá ser alterado pela Diretoria Executiva da ASAE quando houver necessidade, desde que alterações sejam aprovadas pelo Conselho de Representantes.

Para o primeiro tesoureiro da ASAE, Carlos Roberto Vieira da Cunha, o Fundo de Acidentes de Veículos para Carros da Emater e Terceiros é uma importante política de apoio aos colegas da Emater que estão constantemente expostos ao risco de acidentes ao utilizar os veículos como ferramentas de trabalho na rotina da extensão rural. “Apesar do fundo estar sadio, a associação fez alterações no seu regulamento para garantir que situações omissas no texto pudessem comprometê-lo”, esclareceu.